13 comentários:
De Subjectividades a 2 de Julho de 2008 às 20:16
Olá amigo!
lindo o poema "ser tudo e ao mesmo tempo ser nada"
Já sabes como eu sou...acredito que somos sempre alguma coisa para aqueles de quem gostamos!
Acredito que deixamos sempre algo de nós que evita o ser nada exatamente como essa sepultura da fotografia " abandonada " mas tu estiveste lá, prestaste-lhe o teu tributo, paraste, contemplaste e por momentos ela deixou de ser abandonada, por momentos els foi algo reviveu não é verdade!
Um abraço e obrigado pelos votos de boas férias!


De J.C. a 4 de Julho de 2008 às 12:39
já tinha respondido ao teu comentário ... não sei o que se passou mas desapareceu. a secção de comentários do meu blog não funciona muito bem .

um abraço

jmack


Comentar post