Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo para que sejam retiradas de imediato. Não é intenção prejudicar alguém com a divulgação das fotos em questão nem tão pouco lucrar com as mesmas. O email de contacto está disponível no perfil .
Creative Commons License
Este Blog está licenciado sob Licença Creative Commons
Sábado, 26 de Janeiro de 2008

goodbye for now




P.O.D. - Goodbye for now

I can still see the light
at the end of the tunnel shine
through the dark times
even when I lose my mind

But it feels like no one
in the world is listening
and I can't ever seem
to make the right decisions

I walk around in the same haze
I'm still caught in my same ways
I'm losing time in these strange days
but somehow I always know
the right things to say

I don't know what time it is
or whose the one to blame for this
Do what I believe what I can't see
And how do you know
which way the wind blows

Cause I can feel it all around
I'm lost between the sound
And just when I think
I know, there she goes

[Chorus]
Goodbye for now
Goodbye for now
So long

Goodbye for now (I'm not the type to say I told you so)
Goodbye for now
So long (I think the hardest part of holding on is lettin go)

When will we sing
A new song
A new song

We're still smilin as the day goes by
and how come nobody
ever knows the reasons why
Burry you deep so far
you can't see

If you're like me
who wears a broken
heart on your sleeve

Pains is troubles that
you know so well
Either time don't
It can't or you just won't tell

I'm not the type to say
I told you so
I think the hardest part
of holding on is lettin it go

I don't know what time it is
or whose the one to blaim for this
Do what I believe what I can't see
And how do you know
which way the wind blows

Cause I can feel it all around
I'm lost between the sound
And just when I think I know
there she goes

Goodbye for now
Goodbye for now
So long

Goodbye for now (I'm not the type to say I told you so)
Goodbye for now
So long (I think the hardest part of holdin on is lettin it go)

[Repeat]
When will we sing
A new song
A new song

And you can sing until
theres no song left (song left)
And I can scream until
the world goes deaf (goes deaf)

For every other word
left unsaid you should
have took the time to
read the sign and
see what it meant

In some ways everybody
feels alone so if the
burden is mine then
I can carry my own

If joy really comes
in the morning time
then I'm gunna sit back
and wait until the
next sun rise

Goodbye for now
Goodbye for now
So long

Goodbye for now (I'm no the type to say I told you so)
Goodbye for now
So long(I think the hardest part of holdin on is lettin it go)

[Repeat 2x]
When will we sing
A new song
A new song
tags:

deixado aqui por J.C. às 23:10
link do post | comentar | favorito

Se ao menos soubesses tudo o que eu não disse



 




 

Se ao menos soubesses tudo o que eu não disse
 ou se ao menos me desses as mãos como quem beija
e não partisses, assim, empurrando o vento
com o coração aflito, sufocado de segredos;
se ao menos percebesses que eram nossos
todos os bancos de todos os jardins;
se ao menos guardasses nos teus gestos essa bandeira de lirismo
que ambos empunhámos na cidade clandestina

Quando as manhãs cheiravam a óleo e a flores
e o inverno espreitava ainda nas esquinas como uma criança tremendo;
se ao menos tivesses levado as minhas mãos para tocar os teus dedos
para guardar o teu corpo;
se ao menos tivesses quebrado o riso frio dos espelhos
onde o teu rosto se esconde no meu rosto
e a minha boca lembra a tua despedida,
talvez que, hoje, meu amor, eu pudesse esquecer
essa cor perdida nos teus olhos.


 

Joaquim Pessoa




tags:

deixado aqui por J.C. às 22:38
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

quando eu morrer








Quando eu morrer

Quando eu morrer, não digas a ninguém que foi por ti.
Cobre o meu corpo frio com um desses lençóis
que alagámos de beijos quando eram outras horas
nos relógios do mundo e não havia ainda quem soubesse
de nós; e leva-o depois para junto do mar, onde possa
ser apenas mais um poema - como esses que eu escrevia
assim que a madrugada se encostava aos vidros e eu
tinha medo de me deitar só com a tua sombra. Deixa

que nos meus braços pousem então as aves (que, como eu,
trazem entre as penas a saudades de um verão carregado
de paixões). E planta à minha volta uma fiada de rosas
brancas que chamem pelas abelhas, e um cordão de árvores
que perfurem a noite - porque a morte deve ser clara
como o sal na bainha das ondas, e a cegueira sempre
me assustou (e eu já ceguei de amor, mas não contes
a ninguém que foi por ti). Quando eu morrer, deixa-me

a ver o mar do alto de um rochedo e não chores, nem
toques com os teus lábios a minha boca fria. E promete-me
que rasgas os meus versos em pedaços tão pequenos
como pequenos foram sempre os meus ódios; e que depois
os lanças na solidão de um arquipélago e partes sem olhar
para trás nenhuma vez: se alguém os vir de longe brilhando
na poeira, cuidará que são flores que o vento despiu, estrelas
que se escaparam das trevas, pingos de luz, lágrimas de sol,
ou penas de um anjo que perdeu as asas por amor.

Maria do Rosário Pedreira


tags:

deixado aqui por J.C. às 01:01
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2008

Escada










Escada sem corrimão


É uma escada em caracol
e que não tem corrimão.
Vai a caminho do Sol
mas nunca passa do chão.

Os degraus,quanto mais altos,
mais estragados estão.
Nem sustos nem sobressaltos
servem sequer de lição.

Quem tem medo não a sobe.
Quem tem sonhos também não.
Há quem chegue a deitar fora
o lastro do coração.

Sobe-se numa corrida.
Correm-se perigos em vão.
Adivinhaste: é a vida
a escada sem corrimão.


David Mourão-Ferreira


tags:

deixado aqui por J.C. às 14:31
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Para comentar nº 5










mais para comentar







tags:

deixado aqui por J.C. às 14:14
link do post | comentar | favorito
Creative Commons License
Este Blog está licenciado sob Licença Creative Commons

Novembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
26
27
28
29

30


o que eu digo

Não tenho sono ... aturem...

Amanhã ...

8000

Alguém escreveu assim ......

O cemitério dos sonhos

Algum dia havia de ser .....

É só para dizer ...

O vazio

Equipamento

O 25 ...

posts recentes

1 Ano

Sigma 10-20mm 1º ensaio

na esquina ...

está aí alguém ?

tão longe ...

prenda para mim ...

gata 2

gata 1

Filtro 6

Filtro 5

Filtro 4

chaminé

Filtro 3

Já se foram todas ...

Filtro 2

Filtro 1

Não tenho sono ... aturem...

sonhos em infravermelho 8

sonhos em infravermelho 7

os que não partiram 7

os que não partiram 6

lágrima

para comentar nº 24

espanto

para comentar nº 23

livres

golfinhos

retrato

uma morte, uma vida ...

depois da chuva

os que não partiram 5

somewhere

queimado

café

elevador da bica

sonhos em infravermelho 6

um caminho

passagem

Os pássaros

Longe

chuva

Azul

Pessoas ...

Preto e Branco

gnoma

11 de setembro

não basta

Piano

Amanhã ...

I dont care ...

outros tempos

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

tags

todas as tags

por onde ficar

procurar por aqui

 

Galeria

jmack


ver perfil

seguir perfil

. 38 seguidores

subscrever feeds