8 comentários:
De Emanuela a 13 de Abril de 2008 às 04:55
Se sendo anônimo já é difícil ser-se quem é, permanecer autêntico, imagino para um "Jorge Palma", a quem um mundo dá-se o direito de cobrar que seja como querem e não como é. Gostei muito de "ver" o show pelos teus olhos. Obrigada por esta partilha. E gostei de saber que é um homem autêntico, embriagado ou não.
Um beijinho, bom domingo.


De Bichana a 13 de Abril de 2008 às 16:04
O Jorge Palma é... único. Ou se adora ou se odeia. Tem um talento que não cabe nele! Talvez o problema seja esse, não consegue lidar bem com ele próprio de uma forma sóbria. Há uns meses fui ver um espectáculo no qual ele participou, não se lembrava da música e caiu no palco de tão embriagado que estava... É pena aquele(s) vício(s).
Bjnhos e obg pelo teu post!


De J.C. a 14 de Abril de 2008 às 04:41
tinha que partilhar aqui com vocês ... com quem mais ?

um abraço

jmack


De perfumedevioletas a 13 de Abril de 2008 às 22:32
Jorge Palma, embriagado ou não, é um génio, um poeta.

Vou partilhar contigo "Só". Faz parte da banda sonora da minha vida. Ouvi-a centenas de vezes em repeat, julgando estar a ouvir minha alma.

Só por existir
Só por duvidar
Tenho duas almas em guerra
E sei que nenhuma vai ganhar

Só por ter dois sóis
Só por hesitar
Fiz a cama na encruzilhada
E chamei casa a esse lugar

E anda sempre alguém por lá
Junto à tempestade
Onde os pés não têm chão
E as mãos perdem a razão

Só por inventar
Só por destruir
Tenho as chaves do céu e do inferno
E deixo o tempo decidir

E anda sempre alguém por lá
Junto à tempestade
Onde os pés não têm chão
E as mãos perdem a razão

Só por existir
Só por duvidar
Tenho duas almas em guerra
E sei que nenhuma vai ganhar
Eu sei que nenhuma vai ganhar


De J.C. a 14 de Abril de 2008 às 04:39
um génio e um poeta ... sem dúvida

jmack


De Reflexos a 14 de Abril de 2008 às 23:17
Não há que admirar os factos deste concerto, Jorge Palma é mesmo assim, por muito que lamente vê-lo desperdiçar-se daquela forma. Mas ele sabe que: "a dependência é uma besta...." e é a sua opção.
Os enganos, os esquecimentos, fazem parte dos concertos de Jorge Palma, onde muitas vezes é o próprio público a lembrar-lhe as letras numa expressão de uma dedicação/cumplicidade que é parte do encanto e carisma de que o Jorge se sabe rodear. O seu Público não são mais que o seu clube de fãs, de palmaníacos, grupo de amigos com quem partilha a técnica e o prazer das suas musicas cantadas e ouvidas com a mesma dose de paixão.
Uma certa burguesia, sem lugar na história, que se aproximou recentemente do Jorge Palma e que tenta transformá-lo num seu ideal de sapatinho de verniz e pozinho no nariz, com certeza que não pode, e até seria mau sinal, entender o mestre que tanta alegria tem espalhado gratuitamente (sic) aos quatro ventos desde há décadas.
O génio não pode ser julgado pelos tombos que dá mas antes pela capacidade de se apaixonar e transmitir e partilhar o sentimento e se, de uma coisa não tenho dúvida, é que o Jorge Palma é um artista da paixão que ele sabe transformar e partilhar com todos os que sejam capazes, tenham a capacidade de sentir, um certo brilho que sempre vejo vidrado nos olhos do seu publico.
Eu vou buscar alimento para a minha loucura à musica de Jorge Palma e quando viajo levo sempre um único disco comigo, no meio da bagagem, faz sempre jeito ouvir a “estrela do mar” cantada daquela forma “frágil” para não nos sentirmos tão “Só”.
Conhecem isto? http://falajorgepalma.blogspot.com/


De InêsCabral a 15 de Abril de 2008 às 00:24
Querido Jmack gostei muito da tua visão.
Também aprecio ouvir Jorge Palma,apesar de não ser grande fã.
Reconheço que ele é fabuloso nas letras que compôe
Concordo quando dizem que é um génio,e como todos os génios,tem a sua dose de loucura bem apurada!
beijinhos


De lugar_teu a 15 de Abril de 2008 às 01:45
Jorge Palma, sem dúvida: "genialmente louco"
Só o louco sabe ser autêntico e como ele, há poucos.
*

ps- as fotos como sempre inspiradoras


Comentar post